As regras mais importantes de uma regata

A vela é um desporto náutico que tem um conjunto de regras básicas que norteiam todos os participantes na prática da modalidade. Conheça quais são as regras mais importantes de uma regata e saiba como elas interferem e determinam o sucesso ou insucesso de uma prova.

As regras existem para serem cumpridas, caso contrário, os desportistas poderão ser excluídos ou desclassificados das suas provas. Das regras gerais mais importantes que constituem uma regata, destacam-se as seguintes:

A segurança de todos os participantes

A segurança dos participantes é um dos elementos mais importantes em todo o tipo de provas de aventura  e numa regata a preocupação pela segurança não é menor. Todos os velejadores têm de cumprir com os deveres seguintes:

  • Dar assistência a todos os que se encontram em perigo;
  • Colocar a bordo do barco o equipamento necessário para todas as pessoas embarcadas como, por exemplo, o salva-vidas;
  • Cada concorrente, por questões óbvias de segurança, deve utilizar sempre o colete salva-vidas durante a sua prova, pois em caso de queda ao mar, o colete poderá ser a sua única salvação.

A honestidade na navegação

A vitória mais saborosa que um desportista pode alcançar é aquela que é conseguida através do seu esforço e dedicação. A lealdade e a honestidade são os princípios universais do desportivismo e se um velejador for desonesto numa prova, com outro concorrente ou mesmo com o funcionamento do seu barco, ele poderá ser desclassificado e, pior que tudo, perderá o respeito dos outros praticantes.

A aceitação das regras por parte de todos os participantes

Uma das regras mais importantes de uma regata é a aceitação das regras por parte de todos os concorrentes. Quando os velejadores aceitam as penalizações impostas e reconhecem que as regras são supremas e foram instituídas para auxiliar as competições existentes, as provas são controladas mais facilmente e desenrolam-se sem qualquer tipo de problema.

A capacidade de decisão dos velejadores

A possibilidade de velejar, participar e competir numa determinada regata cabe única e exclusivamente aos tripulantes de um determinado barco. É uma decisão ponderada que avalia o estado psicológico do(s) participante(s) e se estão reunidas as condições físicas para a realização e conclusão de uma determinada prova.

A obrigatoriedade da realização dos testes antidoping

Um concorrente deve cumprir com os testes antidoping de acordo com o Código Antidopagem Mundial, as regras da Agência Mundial Antidopagem, e o Regulamento 21 da Federação Internacional de Vela (ISAF). Uma infração alegada ou efetiva desta regra será analisada e penalizada.

A posse da licença de navegação

A Federação Portuguesa de Vela (FPV) emite uma licença desportiva válida para uma época a todos os praticantes, treinadores, juízes e oficiais de regata que a solicitem e cumpram os requisitos regulamentares. Os praticantes podem ser licenciados como agregados a um dos clubes ou associações regionais que se encontrem inscritos na FPV.

Não são permitidos auxílios exteriores

Um barco não poderá receber qualquer tipo de auxílio exterior, a não ser que se verifiquem as exceções seguintes:

  • Se algum membro da tripulação estiver doente ou lesionado;
  • Se após abalroamento, o barco precisar de ajuda a retomar o seu trajeto;
  • As informações gerais disponibilizadas a todos os barcos;
  • As informações não solicitadas são provenientes de uma fonte desinteressada, que poderá ser outro barco na mesma regata.

A propulsão dos barcos deve ser sempre natural

Todos os barcos que participam numa regata competem utilizando unicamente o vento e a água para aumentar, manter ou diminuir a velocidade. A tripulação que vai a bordo do barco pode marear as velas, equilibrar o casco e executar todo o tipo de manobras náuticas, mas não poderá movimentar os seus corpos de modo a dar um maior andamento ao barco.

O peso do equipamento não deve ser excessivo

Os participantes não devem ter um equipamento que faça aumentar o seu peso. Por norma, numa regata, o equipamento (incluindo o vestuário) de um atleta não pode exceder os 8 kg, excluindo o cinto de trapézio e o calçado. Esta é uma condição imposta pelas regras da classe e se esta regra for infringida, o inspetor de equipamento ou o medidor responsável deve relatar o facto por escrito à comissão de regatas, para que esta atue e puna o(s) infrator(es).

A sua votação: 
Average: 4.5 (2 votos)